Mar subirá até 1,3 metro neste século, diz estudo

Mar

Pesquisadores alertam que elevação do nível das águas é irreversível e poderá, no máximo, ter sua velocidade reduzida. Eles apresentam ferramentas para que regiões costeiras possam se blindar.

A temperatura média do planeta aumentou 1º Celsius desde o fim do século 19, e o nível do mar subiu cerca de 20 centímetros. Se o atual ritmo de emissão de gases causadores do efeito estufa se mantiver, os oceanos se elevarão, provavelmente, entre 50 e 130 centímetros até o final do século. A previsão é de um artigo da última edição da publicação científica “Proceedings”, da Academia Americana de Ciências.

“Com todos os gases do efeito estufa já emitidos na atmosfera, nós não podemos mais evitar a elevação dos níveis dos mares. Mas podemos limitá-la significativamente com o fim do uso de combustíveis fósseis”, diz Anders Levermann, do Instituto Potsdam para Pesquisa sobre Impacto Climático (PIK, na sigla em alemão).

Segundo as projeções do pesquisador, principal autor do capítulo sobre elevação dos níveis dos mares do último estudo do IPCC, mesmo se o aquecimento global for limitado a 2º Celsius em comparação com os níveis de hoje, as águas subiriam ainda entre 20 e 60 centímetros até o fim deste século.

DESAFIO DA PROTEÇÃO DA COSTA

Com uma simulação de computador, os autores oferecem a políticos, cientistas e seguradoras um instrumento para a proteção das costas e a prevenção de desastres.

“Com isso, nós queremos dar aos gestores informações de background necessárias para o planejamento de adaptação. Isso é importante para a construção de diques, conceitos da área de seguros e planejamento de longo prazo para assentamentos”, afirma Levermann.

Mesmo que se consiga limitar o aquecimento global a menos de dois graus e a elevação do nível do mar de 20 a 60 centímetros até o final do século, na opinião dos autores, os desafios para a proteção das costas pelo mundo são imensos.

“Mesmo um aumento reduzido dos níveis dos mares seria um grande desafio. Mas, ainda assim, é menos caro do que a adaptação a um aumento desenfreado, que inclusive seria totalmente impossível de ser feita em algumas regiões do mundo”, adverte Levermann. “Se o mundo quiser evitar maiores perdas e danos, devemos agora mesmo seguir o caminho dado pelo acordo da Conferência do Clima de Paris.”

APOIO PARA AVALIAÇÃO DE RISCO

A simulação da elevação do nível do mar por computador considera a contribuição do derretimento das geleiras, a perda da massa das camadas de gelo nos polos e a expansão térmica da água do mar.

“Nossas ferramentas são projetadas de forma a combinar tanto observações do passado como também os processos físicos de diferentes elementos do sistema terrestre a longo prazo”, diz o autor principal do estudo, Matthias Mengel, do PIK. “Acima de tudo, entretanto, nosso método de cálculo pode ser reproduzido de forma rápida e fácil, tornando possíveis muitas simulações sobre a probabilidade da elevação do nível do mar.”

O software permite que os riscos sejam mais bem avaliados. “Os gestores da situação da costa marítima precisam de uma estimativa razoável do pior cenário como também dos casos mais favoráveis possíveis para poderem avaliar chances e custos”, explica o co-autor da pesquisa Ben Marzeion, da Universidade de Bremen.

Na mesma edição, a “Proceedings” publicou outro estudo sobre a elevação do nível do mar, levando em consideração o fenômeno através dos séculos. “No milênio passado, o nível do mar nunca aumentou tão rapidamente como no século passado”, explica o autor Stefan Rahmstorf, também do PIK.

O estudo confirma suposições e sugere, segundo o climatologista, uma contundência jamais vista no fenômeno. “Os dados reafirmam o quão raro é o aquecimento global através da emissão de gases do efeito estufa que estamos vivendo. Mostra que a elevação do nível do mar é uma das consequências mais perigosas das mudanças climáticas.”

Três razões que explicam o sucesso do Snapchat entre o público jovem

Snapchat

O aplicativo Snapchat, criado em 2011 pelo americano Evan Spiegel quando tinha apenas 21 anos, ficou conhecido inicialmente pela preocupação que causou em pais de crianças e adolescentes.

Sua popularidade entre estudantes ocorreu principalmente pelo uso da ferramenta para trocas de imagens sexuais.

Mas Spiegel, em uma entrevista à BBC em 2013, disse que a controvérsia não impediria o Snapchat de ser um sucesso. E ele não estava errado.

O aplicativo tem mais de 700 milhões de usuários em torno do mundo, mas chama a atenção por seu poder de fogo nos EUA: cerca de 100 milhões de pessoas usam o aplicativo diariamente no país. E 86% delas têm menos de 35 anos.

Por isso, o Snapchat ficou conhecido com o “aplicativo dos millenials”. E se transformou em uma plataforma estratégica para empresas e até políticos –na corrida presidencial, por exemplo, ambos os pré-candidatos do Partido Democrata, Bernie Sanders e Hillary Clinton, fazem uso do Snapchat em suas campanhas.

Mas por que o Snapchat faz tanto sucesso entre os jovens? Além de ser gratuito, claro.

1. Privacidade

“Nós complicamos a tarefa dos pais de envergonharem seus filhos”, disse Spiegel durante uma conferência no ano passado.

Para alguém se registrar no Snapchat, somente é preciso um número de telefone e um apelido. E a única maneira de se encontrar um usuário é conhecendo este apelido.

Segundo a especialista em redes sociais da Universidade Princeton, Ryan Maguire, uma era digital carregada de informações que vão se acumulando ao longo do tempo, como acontece no Facebook, fez com que jovens se preocupassem mais em se comunicar com amigos mais próximos do que contar suas histórias para o mundo.

“Os usuários querem compartilhar experiências com pessoas que escolhem e sem a necessidade de que esse conteúdo seja armazenado”, disse uma usuária de Snapchat ao portal de notícias Business Insider.

2. Efêmero

Ao contrário do Facebook, que é capaz de armazenar fotografias e vídeos desde a data em que o usuário abriu seu perfil, o Snapchat apaga seu conteúdo a cada 24 horas. Analistas de mídias sociais afirmam que o fato de nenhum conteúdo prevalecer oferece mais liberdade e faz com que histórias e comentários sejam mais naturais e divertidos.

Se um usuário envia um snap a outra pessoa, a mensagem só poderá ser vista duas vezes. E se o receptor esquecer-se de clicar, a mensagem será destruída em 30 dias. Para empresas e veículos de mídia, essas condições apresentam uma oportunidade de interação, mas ela é desafiadora, já que o conteúdo precisa captar rapidamente a atenção dos usuários.

3. Não é uma rede social

Os usuários do Snapchat não têm por que interagir com outras pessoas ou sequer criar conteúdo próprio. E a empresa por trás do aplicativo diversificou seu uso a partir de janeiro do ano passado ao lançar a seção discover –um carrossel de histórias oferecidas por uma série de veículos de mídia.

“Não somos uma rede social. Temos uma colaboração com alguns meios de comunicação para criar um formato que priorize contar histórias”, disse o Snapchat, em um comunicado oficial.

Assim é possível entrar nos perfis de meios como BBC,CNN, “Wall Street Journal” e outros, que devem sempre atualizar seu conteúdo a cada 24 horas.

Mas a companhia também estimula a produção de conteúdo gerado por usuários, incluindo em eventos de grande porte, como o Oscar.

Diariamente, os usuários do Snacphat assistem a 8 bilhões de vídeos, segundo dados da empresa. O instituto de pesquisas Nielsen estima que 41% dos adultos americanos com menos de 35 anos usam o aplicativo.

Já ouviu falar em Síndrome da Pressa? Problema pode levar até mesmo ao infarto

Síndrome da pressa

O que o provérbio popular já dizia agora é o mal do século XXI: “A pressa é inimiga da perfeição”. Conhecida como a Síndrome da Pressa, a neurose altera o padrão comportamental e acomete quase 30% da população, de modo gradativo, sendo as principais vítimas os homens. Apesar de não ser diagnosticada como uma doença, a neurose pode gerar danos na saúde física, emocional e psicológica. De acordo com a psicóloga, escritora e palestrante, Marilene Kehdi, temperamento inquieto, agressividade e insônia são algumas características de quem sofre com a síndrome, além de manter um ritmo acelerado de vida, o que, consequentemente, irá gerar um nível alto de estresse. Identificar as emoções e pensamentos no ápice da crise é fundamental para o tratamento psicológico.

A qualidade de vida é um dos principais objetivos buscados pelo ser humano. No entanto, um dia é pouco tempo para algumas pessoas resolverem todas as tarefas estabelecidas no dia a dia e ainda manter o bem estar. O que deveria ser uma rotina normal acaba se tornando uma neurose, ou seja, a “Síndrome da Pressa”.

Essa alteração no comportamento atinge, na sua maioria, homens, sendo eles executivos, mas também não isenta mulheres e crianças, e acompanha a pessoa 24hs por dia, em qualquer lugar, em qualquer situação. A síndrome afeta diretamente a saúde física, emocional e psicológica. Embora não seja diagnosticada uma patologia, segundo a especialista em doenças psicossomáticas, é através dessa síndrome da atualidade que se desenvolvem várias doenças, inclusive psiquiátricas, como a síndrome do pânico e a fobia social.

Marilene Kehdi ressalta que os indivíduos que sofrem dessa síndrome são ansiosos em nível alto, vivem literalmente com pressa e só sabem agir sob pressão real ou imaginária. Pessoas apressadas, temperamento inquieto, fala e escrita rápidas, passo acelerado, hostilidade, agressividade, impaciência, além de valorizarem a quantidade, e não a qualidade, são características marcantes dessa neura. Fora isso, o indivíduo sofre com insônia, interrompe a fala dos outros. Outro aspecto curioso é que a pessoa com a síndrome da pressa jamais encosta as costas no encosto ao se sentar numa cadeira ou sofá, e ainda possui mãos frias, boca seca, e dificuldade para engolir.

“Dificilmente essas pessoas acompanham o ritmo das outras, pois, para eles, tudo e todos são muito lentos. Esse ritmo acelerado de vida acaba gerando um estresse de nível alto, que vai gerar depressão, distúrbios gástricos, transtornos alimentares, dores musculares, fadiga e pressão alta, além de problemas no coração. Contudo, a causa não está somente nas demandas do mundo moderno – altamente exigente e competitivo -, mas também em questões internas, as quais precisam ser trazidas a consciência, através de uma psicoterapia, para então serem tratadas e elaboradas.”, afirma.

A psicóloga ainda esclarece que a síndrome deixa o indivíduo em estado de alerta, desta forma, liberam muito cortisol e adrenalina no corpo, o que vai aumentar o nível de estresse e, como consequência, gerar, em casos mais graves, um infarto. Ou seja, uma sensação de forte dor no peito (resultado do sangue extra que flui para os músculos que se tencionam para agir) causando sensação de aperto no peito. Nestes casos, ditado já adverte: “A pressa é inimiga da perfeição”, e também do coração!

“Essa síndrome se tornou um vício na vida de muitas pessoas, e, como todo vício, é muito difícil de ser abandonado. Portanto, o ideal é começar pela mudança de alguns hábitos, com pequenos e graduais ajustes no comportamento. Desacelerar o passo e até mesmo na hora da refeição, exercitar a paciência, inclusive numa conversa, são alguns dos exercícios para não sucumbir à ‘pressa’. Para eficácia do tratamento, é fundamental identificar a emoção no momento da pressa e ansiedade.”, explica Marilene. Em suma, a psicoterapia é imprescindível para descobrir a causa desta ansiedade, desta pressa, que permeia e torna o indivíduo completamente vulnerável. Nos casos mais graves, há, inclusive, a necessidade de ser medicado para controlar o comportamento. Contudo, o antídoto da pressa é o exercício da calma e paciência!

Empresa busca pessoa para viajar, tomar cerveja e ainda receber R$43 mil

World of Beer

A World of Beer, uma rede de bares dos Estados Unidos especializada em cerveja artesanal, está oferecendo um emprego perfeito para os amantes da boa vida. A empresa busca três pessoas para viajar pelo mundo e provar os mais variados tipos de cerveja, degustar comidinhas de bar e, durante a jornada, compartilhar suas experiências em um blog e nas redes sociais da World of Beer.

A viagem será realizada durante o próximo verão do Hemisfério Norte e cada um dos escolhidos receberá um pagamento de US$ 12 mil (cerca de R$ 43 mil). Gastos com alimentação, acomodação e transporte estarão cobertos.

Para conseguir a vaga, os interessados devem ter bom conhecimento sobre cervejas, boa escrita em inglês, habilidades com a câmera fotográfica e, logicamente, saber usar as redes sociais para atingir o máximo número de pessoas possível.

Um de seus objetivos será mostrar fábricas que produzem cerveja ao redor do planeta, o ambiente de bares que servem a bebida e pessoas interessantes que a consomem. Visitas a festivais cervejeiros também estão programadas. “Nós vamos te mandar para a estrada em busca das melhores histórias envolvendo a cerveja pelo mundo”, diz o anúncio da World of Beer.

As vagas estão disponíveis para pessoas de todo o mundo que tenham autorização para trabalhar nos Estados Unidos (e que tenham mais de 21 anos de idade). Para mais informações acesse a página da World of Beer.

Travel World of Beer

Por que o eixo de rotação da Lua mudou

Eixo da Lua

BBC

Cientistas sugerem  que atividade vulcânica possa ter deslocado o eixo de rotação da Lua.

É que a Lua costumava girar em um eixo de rotação com um grau de inclinação diferente do atual, segundo novo estudo publicado na revista científica Nature.

A mudança não se deu da noite para o dia, mas de forma gradual durante bilhões de anos.

Pesquisadores analisaram dados coletados pela sonda Lunar Prospector da Nasa (agência espacial americana), lançada no final dos anos 1990, e detectaram duas regiões ricas em hidrogênio perto dos polos da Lua, o que provavelmente indica a presença de água congelada.

Placas nos polos

As placas de gelo estão em polos opostos, e traçam uma linha entre ambas que passa pelo centro da Lua – o que os cientistas acreditam que fosse seu eixo de rotação.

Essa linha imaginária descreve uma oscilação gradual de seis graus em relação ao eixo atual.

Uma possível explicação para o fenômeno seria uma anormalidade térmica causada por atividade vulcânica na região chamada Procellarum.

Essa área concentra a maioria das manchas escuras da Lua que são visíveis desde a Terra.

Vulcões e atividade geológica associada a essas estruturas a converteram em uma região mais quente e leve do que o resto da Lua.

Um dos autores do estudo, Matt Siegler, do Instituto de Ciência Planetária de Tucson, nos EUA, diz acreditar que a queda de densidade tenha produzido trepidação suficiente para explicar a existência dos dois antigos polos magnéticos.

“A região de Procellarum era mais ativa geologicamente na história lunar primitiva, o que implica que esse deslocamento polar começou há bilhões de anos atrás”, afirma.

Mistério

Siegler e equipe descobriram depósitos de hidrogênio nesses polos ancestrais por meio do espectrômetro de nêutrons da sonda lunar: medindo os nêutrons refletidos desde a superfície lunar por raios cósmicos que atingem o satélite natural da Terra.

Esses depósitos são sinal da presença de água congelada, que pode – e existe – em crateras da região de sombra permanente no polo sul da Lua.

Mas ainda não se sabe por que esses depósitos se mantiveram nessas regiões, que se afastaram dos polos e passaram à região iluminada da Lua.

Os pesquisadores sugerem que eles podem ter sido soterrados por impactos de asteroides, mas a teoria demanda mais estudos para ser comprovada.

Pesquisas anteriores já sugeriram que a Lua pode ter se inclinado muito mais, até 35 graus.

Cientistas apontam que um “objetivo chave” nessa área de estudos será “reconciliar teorias sobre as mudanças na orientação da Lua e determinar quais alterações em sua densidade causaram o desvio”.

Crateras submarinas podem estar ligadas a naufrágios não explicados

Crateras Submarinas

Um estudo da Universidade Ártica da Noruega descobriu crateras gigantescas no fundo do Mar de Barents, ao norte da Noruega e da Rússia —de quase um quilômetro de diâmetro e profundidade de 30 metros.

“Existem múltiplas crateras gigantes no fundo da parte ocidental-central do mar de Barents e elas provavelmente são a causa de enormes explosões de gás. É provável que esta zona de crateras seja um dos maiores pontos de fuga de metano marinho no Ártico”, informou a equipe de pesquisadores em um comunicado.

Os pesquisadores já adiantaram que as crateras explicam os relatos de vários pescadores da região que afirmam ter visto bolhas no mar, como se a água estivesse fervendo, sem nenhuma razão aparente.

A conferência na qual os pesquisadores apresentarão a descoberta, em abril, abordará também os riscos que estas explosões de gás representam para a navegação e se essas explosões e bolhas poderiam ser a causa de naufrágios registrados na região.

Especialistas como o cientista Igor Yelstov, do Instituto Trofimuk, na Rússia, chegaram a questionar se um fenômeno parecido não poderia ser o responsável pelo misterioso desaparecimento de navios no Triângulo das Bermudas – a milhares de quilômetros de distância do Mar de Barents.

Yelstov disse que várias teorias sugerem que os desaparecimentos de navios nesta área do oceano Atlântico entre Miami, Porto Rico e as Ilhas Bermudas podem ter ocorrido devido à reação dos hidratos de gás do fundo submarino.

Mas Karin Andreassem, da Universidade Ártica da Noruega e também diretora-assistente do Cage (Centre for Arctic Gas Hydrate, Environment and Climate) rejeitou estas teorias.

“Descobrimos muitas crateras grandes no fundo da região central do mar de Barents. Análises sugerem que a liberação de gás metano, quando o gelo recuou após a última Era do Gelo, formou estas crateras. Ainda temos que publicar estes resultados, então é tudo preliminar. O que posso dizer é que não estamos fazendo nenhuma ligação com o Triângulo das Bermudas”, afirmou.

‘CRATERAS GIGANTESCAS’

“As crateras são gigantescas, de até um quilômetro de diâmetro e 30 metros de profundidade, e são evidências da liberação de gás no fundo do mar”, disse Andreassen. “Essa liberação podem ser ligadas ao degelo dos hidratos de gás – o que é metano em forma de gelo – que se encontravam sob o leito marinho depois do fim da última Era do Gelo. Mas as condições durante a última Era do Gelo não podem ser comparadas com o que vemos hoje”, acrescentou.

Os especialistas darão mais detalhes sobre a descoberta em abril, na Conferência Anual da União Europeia de Geociência.

O Triângulo das Bermudas ficou famoso graças aos misteriosos desaparecimentos, mas outras investigações concluíram não ser comprovado que navios e barcos afundem mais nesta região do que em outras.

Um estudo encomendado em 2013 pela rede WWF descobriu que as regiões mais perigosas do planeta para a navegação ficam no Mar do Sul da China, no Mediterrâneo e no Mar do Norte.

O Triângulo das Bermudas nem está entre os dez primeiros da lista, apesar de ser uma das regiões de maior tráfego naval do mundo.

Fósseis répteis em âmbar revelam segredos da evolução

Répteis

Deustche Welle

Como em “Parque dos Dinossauros”, preservação em âmbar lança revolução no estudo das espécies animais. Achado do Sudeste da Ásia expõe parentescos insuspeitados e confirma importância dos trópicos para a biodiversidade.

Um pequeno animal morre preso na resina de uma árvore conífera e é hermeticamente envolvido pela substância viscosa e estéril. Passados alguns milhões de anos, a resina se fossiliza, transformando-se em âmbar, e o cadáver em seu interior tem grandes chances de estar preservado de maneira perfeita.

Esse processo paleontologicamente tão importante é o que estimulou a imaginação dos criadores da franquia “O Parque dos Dinossauros”, em que o sangue de uma espécie extinta, sugado por um mosquito e mantido intacto pelo âmbar, é usado na clonagem de novos espécimes. O resto é ambição humana e puro azar.

NUMA MINA EM MIANMAR

Décadas atrás, 12 fósseis em âmbar de lagartos foram encontradas numa mina em Mianmar, no sudeste da Ásia. Três deles –um geco, uma lagartixa e um camaleão– estavam especialmente bem conservados. Segundo os especialistas que recentemente tiveram a chance de examiná-los detalhadamente, os restos fornecem instantâneos da história evolutiva dos répteis, representando verdadeiros elos perdidos.

“Estes fósseis nos contam muito sobre a extraordinária, mas até então desconhecida, diversidade dos lagartos nas florestas tropicais arcaicas”, afirma Edward Stanley, herpetologista do Museu de História Natural da Flórida e coautor de um estudo na revista “Science Advances”.

Os exemplares chamaram sua atenção depois que um colecionador particular os doou ao Museu Americano de História Natural. Ao submetê-los à tomografia computadorizada, Stanley reuniu indícios há muito procurados sobre como as diferentes espécies de répteis emergiram de ancestrais comuns.

“O contingente fóssil dos pequenos lagartos é esparso, já que sua pele delicada e ossos frágeis normalmente não resistem à passagem do tempo, sobretudo nos trópicos. Em geral temos uma pata ou outra pequena parte preservada em âmbar. Mas aqui são espécimes completas, com garras, as partes carnosas dos dedos e até escamas coloridas perfeitamente intactas. Isso os transforma numa janela extremamente rara e única para um período crítico da diversificação das espécies.”

Dois cometas se aproximam da Terra

252p - Linear

 

Dois cometas: 2016 BA14 e 252P/Linear foram detectados em 07 de março pela NASA e se dirigem para a órbita da Terra. O que se imagina é que passarão perto fazendo suas elipses no espaço.

Existe, é claro, o risco de sofrerem um desvio de rota e se dirigirem para nossa atmosfera. Se isto ocorrer, o inesperado pode acontecer de serem qualquer um deles atraídos para a Terra.

A estimativa de datas para a passagem também causam preocupação. Seu ponto previsto ocorrerá em 22 de março.  Um deles, o cometa 252P/linear, circula pelo universo e foi detectado à 246 anos. Todas as previsões que existem sobre sua trajetória é meramente uma estimativa. Resta-nos esperar para ver o que acontecerá. Fiquemos atentos.

2016 BA14

Idade da automação

Idade da Automação

Notícia publicada no site http://www.futurism.com fala com todas as letras sobre este aspecto da vida humana que fatalmente chegará. O desenvolvimento de sistema de operação para os mais diversos fins farão com que todos os possíveis processos de produção e gerenciamento sejam feitos de forma automatizada por computadores ou robôs.

Uma preocupação  existente é a de que a educação não conseguirá manter os níveis de emprego devido ao crescente uso de sistemas automatizados que estão em uso hoje ou que vierem a ser desenvolvidos.

Um relatório recente divulgado pela Universidade de Oxford e o Citigrupo mostra que até 85% dos empregos estão correndo risco de serem absorvidos pela automação, particularmente no mundo desenvolvido. Se isto for verdadeiro, isto fará com que no futuro o desemprego cresça  e nos preocupa a preparação do ser humano para o futuras gerações se não se prepararem para a mudança.

EMPREGOS EM RISCO

O renomado sociólogo Manuel Castells divide os empregos em duas categorias: Genéricos e auto-programáveis. O primeiro inclui empregos cujas tarefas sejam rotineiras ou repetitivas como os em áreas administrativas ou de logística ou controle. Estes são os que mais riscos correm de serem automatizados, porque robôs e inteligência artificial podem substituir seus executores mais rapidamente e facilmente. Em muitos casos, alguns já estão sendo automatizados atualmente.

EMPREGOS QUE ESTÃO SEGUROS E NÃO SOFRERÃO MUDANÇAS

Empregos que tem que ser programados diariamente ou que requeiram que se execute tarefas cognitivas com tomada de decisões. Tarefas como estas, bem como atividades que envolvam inteligência emocional, também estão longe de serem antomatizados. Nesta categoria se enquadram os terapistas, médicos e tudo que se relacione a área médica, outros como agentes de vendas e área educacional tal como professores. Estes tem um ínfimo risco de serem afetados.

DESIGUALDADE

Relatórios mostram que a renda média real  (ajustada pela inflação) está em declínio nos últimos dez anos. A evidência está montada no fato de que a razão em parte já vem investindo em automação para manter seus lucros, o que faz com que sigam investindo para que seus negócios sigam sendo rentáveis. É um clico vicioso. Entretanto, o valor monetário dos trabalhadores vem decrescendo continuamente.

PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO

Os países em desenvolvimento serão os mais afetados pela automação, mais diretamente devido a que o mundo desenvolvido em suas operações de fabricação vem sendo alteradas nas últimas décadas. Avanços tais como a impressão em 3D dirigirá a fabricação para mais próximo do consumidor, fazendo com que as fábricas não mais necessitem de seus trabalhadores.

Na India o risco de automação é de 69%, na China é de 77% enquanto na Etiópia é de 85%.

RISCO DE BAIXA SALARIAL

Orgãos de controle de assistência social para aposentadorias não estão preparados em países em desenvolvimento. Quando milhões de fábricas começarem a perder empregos para impressoras 3D, muitos não terão alternativas. Então, a não ser que se baixe a remuneração de seus operários, as empresas não conseguirão manter os empregos e os trabalhadores serão direcionados para a pobreza extrema.

EMPREGOS DO FUTURO

Extrapolando os métodos atuais e cuidados com a saúde e recreação dos trabalhadores, alguns poderão experimentar um crescimento em tempos futuros baseados no desenvolvimento de suas capacidades. Enquanto isto é impossível prever exatamente quais as áreas terão trabalhos criados no futuro. Os mais capacitados e com conhecimento especializado serão os que serão requisitados.

CAPACIDADE E CONHECIMENTO NÃO SÃO SUFICIENTES

De acordo com Manuel Castells, as vocações do futuro ainda vão requerer pessoas com capacidade de tomada de decisões usando criatividade acumulada e recombinada com conhecimento e informações em trabalhos não rotineiros. Isto implica (e necessita) em aprendizado e experiência de toda a vida e adaptação constante às mudanças que virão a acontecer no mercado de trabalho.

PAÍSES DESENVOLVIDOS

Um relatório de McKinsey de Novembro de 2015 sugere que muitos empregos não serão repostos por máquinas inteiramente, mas somente algumas atividades dentro deles. O relatório também questiona o sentido de que muitas tarefas sofrerão mudanças envolvendo o aspecto criativo muito mais do que acontece hoje.

                             IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO

EXPERIÊNCIA CRIATIVA

Para preparar futuras gerações para este desenvolvimento, as escolas deverão colocar grande ênfase na criatividade mais do que memorização. Estudantes deverão também aprender como usar tecnologias avançadas e mídias novas. Também deverão se adaptar para o trabalho em equipes, se comunicando e interagindo com outras pessoas.

CONHECIMENTOS DIGITAIS

Estudos sugerem que o maior catalizador para automação induz a uma desigualdade nos salários devido a que as pessoas carecem da habilidade de criar valores porque eles não poderão usar informações e comunicações em novas tecnologias. Profundo conhecimento de computadores e softwares serão fatores chave para sua inclusão no mercado de trabalho, e formarão a base para muitas carreiras.

CONHECIMENTOS SOCIAIS

 A empatia humana não terá como ser automatizada nunca. Expertos na área financeira passam menos tempo analisando a situação dos clientes  e mais tempo tentando entender suas necessidades. Isto coloca o foco em ensinar conhecimentos nas escolas, universidades e seminários.

EDUCAÇÃO PARA ADULTOS

Devido a rapidez das mudanças tecnológicas, a força de trabalho mundial será forçada continuamente a aprender novas técnicas e se adaptar a elas. Os “MOOCs” que é a sigla em inglês para Massive Open Online Courses (Cursos Abertos Online) ou seja cursos rápidos Online poderão propiciar a oportunidade para as pessoas se auto-programarem e desenvolver novos conhecimentos.

EDUCAÇÃO EM PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO

O desafio consiste em mover pessoas do ciclo genérico de fábricas para empregos em áreas desenvolvidas e de altos conhecimentos. Para que consigam atingir este estágio, expertos tem dúvida se trabalhadores com baixa remuneração buscarão se desenvolver e atingir estágios de crescimento profissional e especialização. A modernização dos sistemas de educação, combinada com iniciativas e desenvolvimento na computação, são as medidas mais importantes.

Se quiser ver a matéria completa, em INGLÊS, visite o site: http://www.futurism.com

 

Confira a lista de palcos e artistas do Tomorrowland 2016

Tomorrowland-2016

Para o público que aguarda ansiosamente pela segunda edição do Tomorrowland Brasil, mais uma novidade arrasadora acaba de sair do forno. Finalmente foi divulgado o nome dos palcos que receberão os cantores e DJ’s este ano.

Os amantes da música terá “Warung Stage”, “Q Dance” entre outros no dia 21 de abril, “Smash The House”, “Alok Brasillian Bass”, entre outros, no segundo dia (22), e “V Sessions”, “DJ Marky ‘A friends”, entre outros, além do “Mainstage, no terceiro dia (23), Tomorrowland Brasil 2016 promete ficar gravado no coração de muita gente.

A seguir, veja o line-up dos 3 dias de festa, que será em Itu, São Paulo:

Divulgação
Divulgação
Divulgação